A MENTE CARNAL DO HOMEM.

Texto: Romanos 1:28

image

Com a mente carnal, o homem só consegue ficar aos pés da cruz, mas não ser crucificado com Cristo.

Deus entregou o homem a sentimentos perversos (Romanos 1:28). O homem não tem se importado em ter conhecimento de Deus, mas quer ser cheio da iniquidade.

As Sagradas Escrituras diz que os salvos em Cristo Jesus são “o templo de Deus”. (I Cor 6:19).

O homem não quer se sacrificar, com o simples medo, de perder tudo, ou do que os outros irão pensar a respeito da sua mudança de vida.

O homem não tem andado disposto a fazer o que diz I Pedro 3:11.

A Deus não se engana “Os olhos do Senhor estão sobre os justos” (I Pedro 3:12).

O dever daqueles que já são filhos de Deus é andar constantemente em vigilância e oração (Mateus 24:32-43; I Pedro 5:8; I Tessalonicenses 5:17)

Devemos ser vigilantes para fugirmos das armadilhas do diabo e do pecado que tão de perto nos rodeia (I Pedro 5:8), para que possamos rejeitá-los.

O nosso Deus, nos mostra que se inclinarmos-nos à carne e suas paixões nos tornamos inimigos Dele (Romanos 8:7).

Porque para os que creem, e tem Cristo Jesus como único e suficiente Salvador e Senhor, não vivem mais para as inclinações da carne (Romanos 8:9).

O Senhor é bem claro quando nos diz em Sua Santa Palavra- “Não andeis mais como os perdidos na vaidade!”( Efésios 4:17); “Vaidade de vaidade tudo é vaidade (Eclesiastes 12:8).

Nós seres humanos somos hipócritas ao negar isso, mas a Palavra de Deus é bem clara ao dizer: “Tudo me é lícito mas eu não me deixarei me dominar por nenhuma” (I Coríntios6:12).

O que aprendemos na Palavra de Deus é que somos o templo (a morada) do Espírito Santo e não podemos nos deixar ser dominados pelas vaidades da carne.

Precisamos e devemos como verdadeiros servos e filhos, pedir ao nosso Pai e Senhor todo poderoso que abra nossos olhos a todo momento de nossas vidas, e nos dê o entendimento para discernirmos e escolher o que é puro e bom (Filipenses 4:7-8); para que isso acontece devemos nos entregar sem reservas ao Espírito Santo, pois noutro tempo éramos estranhos e inimigos do entendimento, mas hoje somos reconciliados em Cristo Jesus (Colossenses 1:21-22).

Que possamos andar vigilantes e sóbrios, atentos aos ensinamentos do nosso Deus; que privilégio temos de sermos criaturas e podermos ser guiados por nosso Eterno Criador.

Sejamos pois fiéis, para que naquele grande dia quando nos encontramos com nosso Senhor não venhamos ouvir de sua boca: “Apartai-vos de mim vós que praticais a iniquidade (Mateus 7:23)”.

O ser humano morto em seus delitos e pecados (Efésios 2:1-3) anda pelo caminho espaçoso, e nega o caminho estreito que leva à vida eterna que preparada está aos santos (Mateus 7:13-14; Lucas 13:24).

Muitos cristãos com uma mente pequena e medíocre acham que serão conhecidos por Deus por causa de seus dons ou por sua mera aparência, são pessoas que tem deixado as vaidades do mundo as dominar, e se esquecem e não dão ouvidos ao que nos diz o Senhor: “Portanto, pelos seus frutos os conhecereis (Mateus 7:20)”.

Não se deve desprezar os dons (I Timóteo 4:14) e nem usá-los de perversidade e sofisma para aparentar uma falsa santidade em aparência aos irmãos, os dons são de Deus ao homem, mas os frutos são do homem para Deus (Mateus 7:21).

Fuja não se deixe se dominar por aqueles pensamentos que você acha ser bobos, uma coisa puxa a outra, quem cava uma cova nela cairá (Eclesiastes 10:8).

Somos ensinados pelas Sagradas Escrituras a não vivermos na impureza de nossos pecados (Efésios 5:5-6, Gálatas 6:7-8).

Se vivemos em espírito, andemos também em espírito (Gálatas 5:25).

Nós que somos de Cristo crucificamos a nossa carne (Gálatas 5:24).

Aparta-te do mal, e faça o bem (Salmo 34:14).

Que possamos buscar ao Senhor, para que tenhamos a vontade e disposição de pedir como o salmista: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto (Salmo 51:10)”.

A Santa Palavra de Deus diz que nenhuma condenação há, para aqueles que estão em Cristo (Romanos 8:1).

Mas isso só acontece quando nos voltamos para Ele!

Autor: Daniel PC.

Minhas fraquezas não são um fim em si mesmas; mas são um fim que demontram o quanto necessito e dependo a cada dia da misericórdia de Deus revelada em Cristo Jesus meu Senhor e Salvador. (Daniel PC)

Tudo na vida tem sua primeira vez, e hoje 22 de dezembro de 2013 estou postando na net meu primeiro canto em inglês, pois é “euzinho” lutando no inglês (é literalmente lutando mesmo rsss…..).

Existem várias outras músicas em inglês que tenho vontade de fazer covers, resolvi fazer desta primeiro, se for a vontade de Deus gravarei outras músicas que fazem parte da minha trajetória, então confira o meu cover da música People Change da banda For King & Country, e se desejar faça o download gratuito da música.

Nossa cultura moribunda

David Wells em seu excelente artigo com o tema supra, diz que o que chama a atenção quanto à nossa cultura de hoje é que sua corrupção não está simplesmente nas bordas. Essa corrupção é generalizada e se espalha como neblina por toda a sociedade. Robert Bork está correto em sua análise, quando disse que as virtudes tradicionais desta cultura estão sendo perdidas, seus vícios multiplicados, seus valores depreciados – em resumo, a própria cultura está se desfazendo. Destacaremos três aspectos dessa cultura moribunda:

1. O desbarrancamento da virtude – Na mesma proporção que nos tornamos gigantes nas conquistas científicas, apequenamo-nos na estatura moral. Nossa sociedade está se degradando moralmente. O crescimento da violência é dez vezes maior do que o crescimento da população. A escravidão das drogas está matando nossa juventude. A devassidão moral está solapando os valores da família. Cresce espantosamente o número de mães solteiras. A instituição do casamento é questionada até nos meios mais conservadores. O concubinato está sendo incentivado como alternativa ao casamento legal. O chamado casamento homossexual já é visto por muitos, como uma relação legítima, e até mesmo, incentivado pela mídia. Desde 1960 o índice de suicídios de adolescentes subiu mais de duzentos por cento, tornando-se a terceira maior causa de morte entre esses jovens. O índice de divórcio nas últimas quatro décadas cresceu mais de duzentos por cento. Com isso, menos de sessenta por cento das crianças mora com os dois pais biológicos. As colunas de sustentação da nossa sociedade estão abaladas. O edifício moral que deveria proteger a sociedade está desabando.

2. A inversão de valores – A nossa sociedade substituiu caráter pelo desempenho, virtude pelo charme, o ser pelo ter. Chamamos luz de trevas e trevas de luz. Aplaudimos a desonra e fazemos troça da virtude. A nossa sociedade substituiu os heróis pelas celebridades. O herói é forjado nos campos de luta; a celebridade é criada pela mídia. O herói é um grande homem; a celebridade é um grande nome. É a nossa cultura comercial que produz a celebridade, mas era a cultura moral que elevava o herói. À medida que as celebridades substituem os heróis, a imagem substitui o caráter e os valores são invertidos. Na medida em que desapareceu nosso entendimento de nós mesmos como criaturas morais, o vácuo vem sendo preenchido por antropologias alternativas. Estamos numa crise de identidade. Quem nós somos? “Eu sou meus genes”; “Eu sou minha orientação sexual”; “Eu sou meu passado”; “Eu sou minha auto-imagem”; “Eu sou minhas experiências”; “Eu sou o que tenho”; “Eu sou o que como”; “Eu sou o que faço”; “Eu sou quem eu conheço”. Por termos sacudido o jugo do criador, não sabemos quem somos. Perdemos nossa origem. Perdemos o sentido da vida. Não sabemos para onde estamos indo. Estamos confusos acerca da nossa própria identidade, por isso os valores estão invertidos.

3. O desprezo pela verdade – O mundo moderno faz guerra à própria noção da verdade. Mais de setenta por cento da população não acredita mais que haja verdade absoluta. O ilustrado escritor Albert Mohler diz que o evangelicalismo pode ser considerado um prédio de muitos andares. Nos pisos superiores os teólogos debatem questões doutrinárias, e com razão. Precisamos defender a expiação substitutiva, a Pessoa divino-humana de Cristo, a justificação forense, e outros fundamentos evangélicos. Mas, ao mesmo tempo, precisamos reconhecer que no andar térreo a doutrina da revelação está sendo atacada, e a questão da inerrância bíblica continua assaltada. Se a pedra sólida da autoridade da Bíblia for perdida, os argumentos que ocorrem nos andares superiores certamente serão vencidos. Mas nem é essa a base do problema, porque, debaixo do alicerce, alguns estão atacando a própria noção da verdade. Alguns dos que discutem no andar térreo pela inerrância da Bíblia não estão cientes de que há ameaças à integridade e fidelidade evangélica bem embaixo de seus pés. Importa-nos ficar firmes na rocha da verdade de Deus, nessa geração que se afunda na areia movediça do desbarrancamento da virtude, da inversão de valores e do desprezo da verdade.

Excelente texto do Rev. Hernandes Dias Lopes.

Depois da escuridão, a luz!

Post Tenebras Lux!


Desde seus dias de estudante em Paris, Calvino fora frágil e com frequência doente. Seus últimos anos foram marcados por um sofrimento ininterrupto. No início de 1564, numa carta a médicos franceses que lhe haviam enviado alguns remédios, ele enumerou as doenças físicas que o afligiam: artrite, pedras nos rins, hemorróidas, febre, nefrite, indigestão severa (“qualquer alimento que eu tome adere-se como cola a meu estômago”), cólicas, úlceras, emissão de sangue em vez de urina. “Todas essas enfermidades, por assim dizer, atacam-me em bando.
Dois dias antes de escrever essas palavras, ele havia pregado o que mostrou ser seu último sermão, carregado para o púlpito de São Pedro em sua cama, Quando o fim estava bem próximo, os ministros de Genebra aglomeraram-se em sua casa para ouvir sua mensagem de despedida. Ele relembrou o curso turbulento de sua carreira, tentou colocar sua própria vida em perspectiva.


Quando cheguei aqui pela primeira vez, quase não havia nenhuma organização.
Pregava-se o evangelho, e isso era tudo. Todas as coisas estavam transtornadas.
Atravessei conflitos espantosos. Fui saudado com zombarias à noite diante de minha própria porta com 50 ou 60 ataques. Imaginem como isso afetou um estudio pobre e tímido como sou e, confesso, sempre fui. Então, expulsaram-me da cidade, e em meu retorno de Estraburgo tive tantas dificuldades quanto antes para realizar meu ofício. As pessoas lançavam seus cães em cima de mim, e eles agarravam minhas roupas e minhas pernas. […] Quando fui ao conselho dos Duzentos para apaziguar um tumulto, receberam-me  com gritos para me retirar. “Não vou fazer nada disso”, repliquei. “Matem-me, tratantes, se quiserem. Meu sangue testemunhará contra vocês, e estes bancos exigirão isso de vocês.” Assim será com vocês, meus irmãos,  pois estão em meio a um povo perverso e infeliz. Por mais pessoas de boa vontade que haja, é um povo ímpio e perverso, e vocês experimentarão sua perversidade quando eu tiver ido. Mas sejam corajosos e fortaleçam-se; pois Deus fará uso desta igreja, e mantê-la-á, e presevá-la-á. Cometi muitos erros com os quais vocês terão de conformar, e tudo o que fiz não valeu de nada. Os ímpios vão tirar proveito dessas palavras. Mas a respeito de tudo o que fiz não vale nada e que sou uma criatura miserável. Isso, porém, posso dizer, que sempre desejei fazer  o bem e meus erros sempre me desagradaram, e o temor de Deus está arraigado em meu coração. De modo que vocês podem dizer que minhas intenções foram boas, e oro para que o mal me seja perdoado, e, se tiver havido alguma coisa boa, que vocês se ajustem a ela e a sigam.
A respeito de minha doutrina, ensinei fielmente e Deus me deu a graça de escrever. Fiz isso do modo mais fiel possível e nunca corrompi uma só passagem das Escrituras, nem conscientemente as distorci. Quando fui tentado a requintes, resisti à tentação e sempre  estudei a simplicidade. Nunca escrevi nada com ódio de alguém, mas sempre coloquei fielmente diante de mim o que julguei ser a glória de Deus.


Em 2 de maio, escreveu sua última carta, uma despedida final a seu velho amigo Farel: “Visto que é da vontade de Deus que você viva mais que eu no mundo, viva ciente de nossa intimidade, a qual, tendo sido útil para a igreja de Deus, tem seus frutos esperando-nos no céu. [..] É suficiente para mim viver na vida quanto na morte”. Em 27 de maio, seus sofrimentos tiveram fim. Beza, que esteve com ele até o fim, escreveu: “Nesse dia, com o crepúsculo, mais brilhante luz que já houve no mundo para orientação da igreja de Deus foi levada de volta para os céus”.
O elogio emocionado de Beza parece reverter o mote do reformador de Genebra, post tenebras lux ­­­- depois da escuridão, a luz - para post lucem tenebrae - depois da luz, as trevas. Quando se visita Genebra hoje, vê-se o imponente Monumento da Reforma, em que Calvino se encontra como estátua, maior do que o tamanho real, tendo de ambos os lados estátuas de reformadores e estadistas famosos. (Lutero e Zuínglio mereceram uma mensão honrosa, mas nenhuma estátua!) De alguma forma, esse monumento, por mais impressionante que seja, parece inadequado para o home  a quem se pretendeu comemorar.
Calvino não buscou sua própria glória, mas morreu confessando que "tudo o que fiz não valeu de nada […] sou uma criatura miserável". Calvino foi enterrado no cemitério  comum. Devido a seu próprio pedido, não se ergueu lápide alguma sobre o lugar de sua sepultura.

Trecho retirado do livro Teologia dos Reformadores de Timothy George, editora Vida Nova. Pg 246

.imageJoão Calvino.

Assista o Vídeo

After Darkness… Light (Portuguese Subtitles) from Desiring God on Vimeo.

Hoje lancei mais uma música e clipe.
A música da vez é da banda Third Day se chama God of Wonders.
Resolvi fazer esta versão não só pelo fato desta música fazer parte da minha vida, mas também pelo fato de ser uma música “Cristocêntrica” ( Deus como o centro e o alvo), é uma música que desde de seu início descreve as maravilhas da criação do Deus todo poderoso, em tempos como o nosso aonde tantas e tantas músicas ditas “evangélicas” são totalmente egocêntricas, esta canção é um refúgio para cantarmos músicas que tenham como alvo a Glória e a Exaltação unicamente de Cristo, veja o vídeo e analise a letra desta linda canção.
                                                                              Daniel PC.

Honra teu pai e tua mãe.

Para aqueles que são cristãos (seguidores de Cristo Jesus), esta palavra honra, já nos foi dita muitas e muitas vezes: Honrar a Deus; Honrar aos pais; Honrar o próximo; e tantas e tantas vezes ouvimos e até chegamos a dizer aos outros que eles devem honrar.

Mas será que esta palavra é apenas mais uma no nosso vocábulo, apenas escrita no nosso dicionário para sabermos o seu significado, para dizermos aos outros que sabemos o que é honrar, ou esta palavra é algo que está enraizado em nossa mente e coração, que sabemos exatamente o que ela significa e a colocamos em pratica nas nossas vidas?

Em Mateus no capítulo 15 Jesus é  endagado pelos escribas e fariseus por  ele e os seus discipulos não lavarem as mãos para comerem pão, pois era uma tradição dos antigos: Então chegaram ao pé de Jesus uns escribas e fariseus de Jerusalém, dizendo:Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? pois não lavam as mãos quando comem pão.(Mateus 15:1-2).
E o mais engraçado é que esses mesmos religiosos trangredião os mandamentos de Deus por causa de suas tradições: Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição?(Mt 15:3).
Os religiosos da época de Jesus, sabiam bem os significados das Leis de Deus, e por terem este entendimento da Lei eles se achavam no direito de julgar quem não cumprisse algum mandamento ( e isso não mudou nada nos dias de hoje), mas eles mesmo não cumpriam as leis de Deus, apenas seguiam suas tradições (que eram passadas de uma geração à outra),como se elas fossem santas;eles apenas queriam mostrar as pessoas o quanto eram selosos; mas toda conservação desses religiosos não passava apenas de encenações hipócritas, eles “honravam” a Deus apenas com os lábios (da boca pra fora), pois  sabiam que deviam honrá-lo por ser um mandamento, só que os seus corações estavam  distantes de Deus; em outras palavras o honravam apenas por saber o significado, mas na prática não era isso que faziam: Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo:Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim (Mt 15:7-8).

No versículo 4 Cristo fala a estes religiosos a respeito da honra aos pais, um dos mandamentos que eles não cumpriam pois estavam mais preocupados em viver suas tradições, e desobedeciam a Deus; Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição? Porque Deus ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à mãe, certamente morrerá.

Mas vós dizeis: Qualquer que disser ao pai ou à mãe: É oferta ao Senhor o que poderias aproveitar de mim; esse não precisa honrar nem a seu pai nem a sua mãe, E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus (Mt 15: 3-6).

Esses religiosos estavão tão preocupados com a atitude de Cristo e dos seus seguidores de não seguir tradiçoes (é claro que Jesus e os discípulos tinham higiene), mas eles nem sequer cumpriam os mandamentos de Deus na prática,e ainda obrigavam aos outros a viverem algo que nem eles viviam (isso se parece muito com nós).

Nesta semana aprendi uma grande lição: o quanto é importante, e, o quanto devo honrar meus pais (Efésios 6:1-3).

Tive uma grande experiência e aprendi grandes lições neste final de semana; tive que correr as pressas com meu pai para o hospital, pois ele estava com uma grave complicação que tinha que ser resolvida as pressas; sai de casa ainda ao amanhecer, e sinceramente nunca tinha visto meu pai com tanta dor, fomos direto para o hospital, e chegando lá fomos atendidos imediatamente ( o atendimento realmente foi rápido), e ele alguns minutos depois foi levado para a sala de cirurgia, pois a situação era muito grave. E eu estava ali ( eu e Deus), pela primeira vez passando por aquilo.

Mas Graças ao Eterno e Soberano Deus tudo ocorreu maravilhosamente bem na sirurgia. Passei a noite no hospital com meu pai, e enquanto eu o ajudava ( e Deus cuidava dele), pude ver o Senhor me ensinando o que realmete significa a palavra honrar, durante aquela noite, meu amor pelos meus pais criou uma chama mais vivida do que antes, o respeito, o carinho, o altruismo, a compaixão, o perdão ( todos estes frutos do Epírito Santo (Gálatas 5:18-25), foram lições que eu consegui tirar do dicionário, e viver na prática, e tudo isso foi Deus com sua Soberania e propósitos me ensinando a sair das simples palavras, para viver de coração.

Depois de tudo o que aconteceu, tive a verdadeira lição do que realmente é honrar meus pais.

Durante a madrugada enquanto eu tentava durmir, mas não conseguia pela preocupação em ajudar meu pai nas suas necessidades, as palavras de Cristo pulsaram dentro do meu coração : "Honra teu pai e tua mãe". E a lição é que, como Cristo disse aqueles religiosos, honrar ao pai e a mãe, não é uma questão de tradição ou apenas mais um mandamento de Deus, mas é que se eu honro meus pais, eu não honro a eles, mas honro a Deus. Somente a Deus seja a glória. Amém!

Este vídeo abaixo é de uma música da banda U2, ela toca muito meu coração, e me emociona muito, ao escutar esta música vejo o quanto é importante honrar meus pais, esta música eu ofereço ao pai que Deus me deu.

Daniel PC- Nada Sou (Clipe Oficial).

Deus seja louvado, por me dar a oportunidade de lançar meu primeiro vídeo clipe, e se Ele permitir, esse é apenas o primeiro de muitos que viram. Soli Deo Gloria.